Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Admirável Mundo Novo

por Catarina Marcelino, em 26.02.13

 

"A revolução verdadeiramente revolucionária realizar-se-á não no mundo exterior, mas na alma e na
carne dos seres humanos."

Aldous Huxley

 

Aqueles que estão convictos de que têm o poder e o país nas mãos, acompanham o novo paradigma com uma encenação para “gente estúpida”, olhando para o povo com soberba e arrogância, e lá vão trilhando o percurso para o desmantelamento do Estado Social e de desregularização do mercado de trabalho, na esperança de alterar a Constituição e a partir daí, ter o caminho totalmente livre para que a doutrina se instale e o “novo futuro” emerja pela mão desta “elite de iluminados”.

 

Esta nova classe emergente no poder, que mistura estes fundamentalistas neo-liberais com a arrogância dos herdeiros dos senhores dos tempos da ditadura, que nunca conviveram bem com a melhoria de vida de todos os cidadãos e do direito de todos a adquirirem uma licenciatura, as férias, o carro, a casa, vêm aqui a grande oportunidade de empurrar a classe média que emergiu com a democracia, para aquele que verdadeiramente entendem que é o seu lugar – a pobreza envergonhada dos remediados que comem e calam e que, como disse o banqueiro Fernando Urlich, membro da casta e emissário da superioridade da elite - ai aguenta, aguenta!.


Este caminho que se faz com a “brutal subida de impostos” de Passos e Gaspar, dos cortes dos subsídios de férias, da desvalorização do trabalho à custa do desemprego  e da emigração, mina a confiança, mina a esperança, cria desalento e posiciona os portugueses e as portuguesas para serem subjugados por quem manda.

 

Mas é bom que esta elite de “new age” misturada com “aristocracia da treta”, que se julgam acima dos outros, compreenda que o povo, mesmo espartilhado, um dia enche. E nesse dia veremos o que pode acontecer ao “admirável mundo novo”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:53



2 comentários

De Tiago Cabral a 27.02.2013 às 12:11

Funcionam como uma ordem ascética e puritana. São seres imaculados. Vivem num mundo à parte. Olham para o povo e mete-lhes nojo, mesmo nojo, o facto de estes também conseguirem ter por exemplo um carro. Agarraram nas teorias políticas liberais e utilizando a defesa do indíviduo e da sua liberdade, usaram-nas de forma deturpada para se protegerem a si e ao seu status. A sorte desta classe impura é precisamente, que paradoxo!, a existência de uma esquerda radical controlada pelos sindicatos, o que até agora tem impedido manifestações mais violentas. Mas é como diz, um dia o povo enche.

De Rute Isabel a 28.02.2013 às 11:44

Vamos mostrar-lhes a 2 de Março como vamos estando cheios?

Comentar post





Filibuster, subs.

1. Utilização de tácticas de obstrução, tais como o uso prolongado da palavra, por membros de uma assembleia legislativa de forma a impedir a adopção de medidas ou a forçar uma decisão, através de meios que não violam tecnicamente os procedimentos devidos;

Filibuster, noun
1. The use of obstructive tactics, such as prolonged speaking, by a member of a legislative assembly to prevent the adoption of measure or to force a decision, in a way that does not technically contravene the required procedures;

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Comentários recentes




Arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D